Percepção, Atenção e Consciência

Estas últimas semanas tive dois pensamentos complementares, que surgiram a partir de duas ações cotidianas e aparentemente sem nenhum significado. No primeiro, eu estava escutando uma música em inglês, sem prestar atenção na letra, como normalmente fazemos, mas parei e decidi focar minha atenção para entender o que a música estava dizendo. E no segundo, enquanto dormia, eu sonhava que sentia frio, mas nada que eu fizesse me possibilitava acabar com o frio, até que eu acordei e percebi que estava sem coberta.

Que reflexões estes acontecimentos me trouxeram…

Com a música tive uma percepção muito profunda de que mesmo escutando algo, não necessariamente estamos ouvindo sua mensagem conscientemente. Quem sabe, nosso próprio corpo, nosso eu interior, ou mesmo seres que habitam outros níveis energéticos, como “anjos”, “demônios” ou até mesmo Deus, talvez estejam continuamente se comunicando conosco. No entanto, estamos tão atarefados, ou mesmo desconectados de nós mesmos, que escutamos essas vozes como uma música de fundo constante, mas sem prestarmos atenção no que dizem.

Será que isso era possível?

Eu percebi que este pensamento podia ser profundo, mas eu ainda não tinha acesso à resposta. No entanto, independentemente, foi interessante me abrir ao fato de que talvez muitas coisas estejam interagindo conosco em muitos níveis existenciais e que nem nos damos conta.

O segundo acontecimento…

Assim, algumas semanas depois eu tive aquele sonho. Uma coisa muito simples e óbvia aparentemente. Coisa que sempre ocorre. Estamos com sede e sonhamos que estamos com sede, queremos ir ao banheiro e no sonho precisamos fazer xixi, estamos com frio e tentamos nos cobrir de todo jeito no sonho…

No entanto, desta vez eu estava aberto para novas explorações. Eu estava em busca de outros níveis de consciência, então alguma coisa fez sentido. Eu percebi vivamente que, mesmo nos sonhos que temos todos os dias, experienciamos uma realidade de consciências simultâneas, na qual aparentemente estamos desconectados de nosso corpo físico, mas, no entanto, ainda ligados as suas percepções sensoriais.

Ou seja, temos sonhos muito vívidos nos quais interagimos com uma realidade que nos parece ser a mesma de quando despertos, até que acordamos e percebemos que tudo não se passou de um sonho. Quando eu estava sonhando, eu sentia frio, no entanto, nada do que eu fizesse me possibilitava cessar este frio. Isso porque esse frio na verdade provinha de outra realidade: da percepção de frio que meu corpo físico sentia. Assim, independentemente do que eu fizesse no meu sonho, nada me possibilitava cessar este frio, este “sofrimento”, esta “dor”.

Somente quando eu acordei, que pude entender que o frio não vinha daquela realidade dos sonhos, mas sim da realidade do meu corpo físico. E por isso, eu não podia solucionar aquela dor no meu sonho, eu precisei despertar.

consciencia_atencao_e_percepcao

O que intui…

A filosofia oriental nos ensina que temos múltiplos corpos: físico, energético, emocional, mente dos desejos, mental superior, intuicional e espiritual. Será que teríamos que despertar para esses outros corpos também, para trazer à consciência o que estamos sentindo em cada um deles? Do mesmo modo como despertamos do sonho, para o mundo real.

Nesta experiência, senti profundamente a necessidade desta tomada de consciência.

Como se, muitas vezes estivéssemos sofrendo em outros corpos mas não nos damos conta. Podemos estar energeticamente esgotados, ou emocionalmente desequilibrados, mentalmente instáveis, ou mesmo, espiritualmente famintos, mas não damos a menor atenção. Como se o único corpo que importasse fosse apenas o corpo físico. E essa tirania existencial, acaba impondo uma única alternativa: após um longo período de sofrimento em outros corpos, para trazer à consciência uma necessidade de mudança, nos impomos situações limites ou mesmo nos obrigamos a expressar esta dor em doenças em nosso corpo físico. Como um alerta final dos outros corpos: HEI! Tô aqui também! Me ouve! Você precisa mudar!

Se enquanto dormimos, não conseguimos ouvir o que nosso corpo físico nos diz, imagina tudo que ignoramos na correria do dia a dia, enquanto estamos acordados.

Que dores energéticas, emocionais, mentais e espirituais estamos sentindo? E por quê?

Que sonhos estamos seguindo? São estes realmente nossos?

Que vida estamos construindo? Quem realmente queremos ser?

Claro que, entender intelectualmente e só um passinho em relação a ter consciência do que cada um desses corpos nos dizem continuamente.

Por fim, acredito que esta foi a mensagem do meu sonho:

Desperte a sua atenção e aumente sua percepção. Escute você mesmo e amplie sua consciência. No fim, o importante é estar aberto a aprender e evoluir constantemente.

Anúncios