Superando o medo da morte.

grilhoes

Ultimamente tenho percebido o quanto é importante e completamente determinante o medo da morte. Talvez, no fim, todo o medo que sentimos em nossa vida se resuma ao medo da morte. Maquiado por infinitos outros medos superficiais acaba sendo quase inacessível. Temos tanto medo da morte que temos até medo de admitir tê-lo.

Ontem eu vi um filme muito interessante. After Earth. Interessante porque falava sobre o medo. E sobre o fato do medo não existir por si só. O medo é apenas nossa imaginação sugerindo que existe uma possibilidade que no futuro alguma coisa de ruim aconteça. No entanto, agora, neste momento, no qual você está e precisa tomar a decisão, este futuro imaginado não existe e muito provavelmente nunca venha a existir. A menos que você deixe. Ou seja. O medo da morte nos limita a fazer tudo que queremos fazer pois tememos que no futuro qualquer ação diferente do que já conhecemos e estamos acostumados nos leve a morte.

Desde que nascemos somos condicionados a ter medo da morte. Todos os dias, em todos os momentos, ao cuidar de nós, nossos pais nos ensinam a não morrer. Ao mesmo tempo que nos mantém vivos nos aprisionam num determinado condicionamento mental que nos faz temer tudo aquilo que eles não compreendem.

Não coloque o dedo na tomada ou você vai morrer. Não suba na janela ou você vai morrer. Não atravesse a rua ou você vai morrer. Não coma demais ou você vai morrer. Não fique sem comer ou você vai morrer. Você precisa trabalhar ou você não vai ter dinheiro e vai morrer. Tenha filhos porque do contrário não vai ter ninguém pra cuidar de você na velhice e você vai morrer. Não fiquei velho ou você vai morrer. Não use drogas ou você vai morrer. Não tenha armas ou você vai morrer. Não saia na rua pois existe violência e você vai morrer. Vá sempre ao médico porque você pode estar doente e morrer. Tome remédios porque se não você vai morrer.

No fim, nossa vida é limitada e determinada por tudo que poderia ocasionalmente nos matar.

Somos tão condicionados a tudo que poderia nos matar, que temos medo de tomar qualquer decisão que gerará uma grande mudança. Pois esta mudança pode nos matar. E assim, acabamos não fazendo nada.

Quem tem medo não busca por mudanças, não luta, não mete a cara. Quem tem medo fica apenas em casa, armazenando e guardando tudo que tem, com medo de perder aquilo que lhe mantém vivo.

E no fim, qual o problema com a morte? Porque temos que ter tanto medo de morrer afinal? No fim, nos preocupamos tanto com o que os outros vão pensar que até na morte nos preocupamos com isso. O que vai acontecer com a minha família se eu morrer? Como meus pais vão ficar? Como meus filhos vão ficar? Gente, você não vai nem mais existir. A sua inexistência não pode ser uma responsabilidade ou problema. As pessoas deveriam se preocupar com a sua existência, pois é a única coisa que existe. A gente nem se quer sabe se um dia vai deixar de existir.

Talvez confrontar o medo da morte seja o único modo de perceber o quanto somos fortes e o quanto podemos mudar o mundo. Pois, somente quando não temos medo que temos coragem para tomar atitudes que realmente importam.

Sente, pare e pense em tudo que você gostaria de fazer. Porque você não faz? Por medo de que? Se não existisse esse medo você nem estaria pensando. Você já estaria vivendo. Não seria um sonho, mas já seria a realidade.

Não tema, realize.

Anúncios