A banalização do mal

milagres_diários

Ontem enquanto caminhava me dei conta da quantidade de pensamentos negativos que sem nenhum motivo minha mente me sugeria. Quando fazemos uma atividade que não ocupa a total concentração da mente, como por exemplo caminhar, incontrolavelmente começamos a divagar. E, muito frequentemente, nossa mente começa a sugerir uma série de situações catastróficas, desenvolver enredos completos de calamidades, prever discussões…

Somos condicionados a pensar que vivemos na eminência de uma catástrofe.

Outro dia vi o filme da Hannah Arendt, no qual ela falava sobre a banalização do mal. Ou seja, acostumar as pessoas que o mal pode acontecer sem nenhum motivo ou merecimento.

Primeiro de tudo, fomos adestrados a temer irracionalmente a morte. Nos ensinaram que a morte existe e que devemos evitá-la a qualquer custo. E pior, ninguém sabe o que é a morte, ela pode acontecer a qualquer momento e sem nenhum motivo.

Fomos condicionados a viver imersos neste medo irracional. Temos vários possíveis carrascos para escolher: temos o estado, Deus, o karma, a justiça, a sociedade, a família, o chefe… Temos monstros imaginários, crise econômica, a violência generalizada, serial killers, catástrofes naturais, doenças crônicas, acidentes fatais, balas perdidas, eletrocuções, quedas, afogamento, fogo, a loucura, a velhice. Temos a inescapável morte. Que, para ser ainda mais terrível, criamos o julgamento divino, o inferno e o sofrimento eterno.

Ou seja, fomos condicionados a acreditar que a todo momento alguma coisa terrível pode acontecer conosco e sem nenhum vínculo com merecimento. Ou seja, não é necessário merecer para que coisas terríveis aconteçam. Elas simplesmente acontecem sem motivo algum. Faz parte da vida.

E os milagres?
Para acontecerem milagres e maravilhas em nossas vidas precisamos de merecimento?

Fomos levados a acreditar que as desigualdades do mundo existem por um motivo.
Fomos levados a acreditar que merecemos ser punidos.
Fomos levados a acreditar que não merecemos nada de melhor do que já temos.

E se não precisássemos merecer, mas apenas querer?
Se não nos sentimos merecedores nem sequer nos atrevemos a desejar realmente.

Do mesmo modo como catástrofes acontecem sem motivo, também milagres podem acontecer sem motivo. Não precisamos ser mártires ou santos. Não precisamos deste merecimento para que coisas maravilhosas ocorram em nossa vida. Não precisamos ser punidos por nada. Estamos vivendo, aprendendo, descobrindo…

Vamos eliminar todos os carrascos e calamidades eminentes que assolam nossas mentes. E vamos conscientemente recondicionar nossos pensamentos para que maravilhas aconteçam diariamente em nossa vida. Imagina a explosão de energia positiva que isto vai trazer. Vamos adestrar a nós mesmo para eliminar sumariamente qualquer pensamento negativo que vier em mente e substituí-lo por um acontecimento maravilhoso. Um milagre.

Vamos atrair o melhor que existe no universo, porque merecemos.

Anúncios