Pensando sobre a eternidade

De acordo com a cresça de grande parte da humanidade, a existência acontece em ciclos contínuos de reencarnações. Assim, somos seres indestrutíveis e eternos que vivem uma sequência de vidas finitas.

Este pensamento sempre me pareceu muito interessante, e foi o qual adotei como explicação para a existência. Por isso, sempre pensei que o objetivo da vida seria aprender, e que, em cada nova vida voltaríamos para vivenciar e experimentar coisas novas.

No entanto, ultimamente tenho percebido de modo diferente, que o objetivo não seria somente aprendermos individualmente, mas sim, como humanidade, mudando, transformando e desenvolvendo o senso comum. Ou seja, não só aprender, mas também ensinar, e principalmente através do nosso próprio exemplo.

Quando pensamos em pessoas iluminadas, sempre nos vêm em mente os guias espirituais da humanidade, como Jesus, Moisés, Maomé, Krishna, Confusio, Bhudda… Estas pessoas chegaram a um nível de compreensão da existência muito diferente do que a maioria dos outros seres humanos e por isso, iluminaram novos caminhos de busca com outros valores e ideais. Guiando o desenvolvimento e aperfeiçoamento da humanidade. No entanto, além deles, muitas outras pessoas contribuíram ao desenvolvimento da humanidade, mudando comportamentos locais ou globais, inventando novas tecnologias que revolucionaram o mundo: seja a criação dos meios de comunicação, ou de transporte, seja a descoberta da própria eletricidade ou das teorias da física, química, biologia, como as leis, linguagem e filosofia. Graças a eles, somos capazes de observar e perceber o mundo de um modo diverso.

Mas o que tudo isso tem a ver com a eternidade?

Sempre quando pensamos em grandes descobertas e grandes realizações, pensamos em pessoas diferentes, em tempos diferentes, que criaram coisas diferentes. No entanto, se as pessoas são eternar, vivendo vidas limitadas, talvez estes grande nomes e inventores e guias da humanidade podem ter sido sempre a mesma pessoa, quem sabe até você mesmo, ou seu filho, seu irmão, sua mãe. Pode ser qualquer um de nós. Todos temos o potencial de mudar o mundo. Todos o mudamos, de acordo com as capacidades que decidimos desenvolver e com o poder que lutarmos para conquistar.

Assim,  não vivemos em um mundo que outras pessoas criaram e definiram, mas sim, no qual nós mesmos deixamos de herança para nossas vidas posteriores. Não deixaremos o mundo para nossos filhos ou netos, mas para nós mesmos, em uma vida futura. Então, se você nunca se importou com o que seus filhos e netos vão ter no futuro, se preocupe com o que você vai ter no futuro.

Pense que foi você que criou e mudou o mundo, lutou e morreu em guerras e revoluções para que tudo fosse como é hoje. Que a vida vale a pena somente se conseguimos melhorar aquilo que está a nossa volta, a partir da nossa capacidade de mudarmos nós mesmos e servirmos de exemplo.

Sempre pensei no porquê alguns nascem ricos e outros pobres. Antes eu pensava que era um castigo, uma reação kármica, mas hoje eu pensei de modo diferente. Talvez nós mesmo tenhamos escolhido o exato modo como nascemos. Por sermos os administradores da humanidade, os criadores da nossa própria realidade, decidimos nascer no meio da mais terrível das situações para de dentro desta desenvolvermos e descobrirmos o modo de mudá-la.

Também, tenho pensado sobre a palavra Testamento. Velho e Novo Testamento. Se nos foi deixado um testamento o que ganhamos de herança? A minha resposta do momento é conhecimento, ou, ao menos, capacidade de formularmos perguntas e questionamentos. Independente de sermos eternos, cada existência começa da ignorância, e, se não fossem todos os estudos e conhecimento que deixamos registrado por milênios, em cada nova vida teríamos que começar do zero. Do mesmo modo que a liberdade deve ser lutada e mantida a cada geração, assim também é o conhecimento. Por isso, quando nascemos, recebemos tanto conhecimento acumulado por milênios, e com o nosso amadurecimento temos a possibilidade de criarmos, modificarmos e questionarmos este conhecimento. Criando novos modos de ver o mundo e a própria existência. Lutamos por nossos direitos seja em casa, seja na nossa pequena comunidade, seja para mudarmos todo o mundo.

Abandone o seu modo finito de pensar a vida, e mergulhe no infinito da existência. Descubra que herdaremos nossa própria herança e testamento, para sempre.

 

Anúncios