Saindo do Ninho – A conquista da Liberdade

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Testinho enviado pela minha tutora do curso de empreendedorismo:

Sempre me questionei sobre a questão da liberdade.
É obvio que uma gaiola, nunca será a melhor opção sob a perspectiva do passarinho.
Mas em um viveiro, com espaço para poder voar mais tranqüilo, o que faz com que ele tenha vontade de sair?
Se houverem todas as condições ideais, ele terá abrigo, água, comida, remédio, companheira, tudo à disposição:
sem grandes esforços, sem perigos, sem ameaças, sem constrangimentos.
Por que então ansiar para ir ao mundo exterior,
onde terá que buscar abrigo ou construí-lo,
onde terá que voar muito para encontrar água para se saciar,
onde a comida deverá ser conquistada,
onde necessitará ter algo mais para enganar os predadores,
onde às vezes deverá atravessar continentes para encontrar a situação ideal para se reproduzir?
Que sentimento ou que instinto é esse que o faz sonhar com estes desafios?
Que sobrepuja a acomodação,
Vence a inércia,
Quebra barreiras e Vai a luta?
Aprender tem um pouco deste sentimento.
É algo mágico que nos impulsiona a desejar querer ser nós mesmos.
Entender, compreender, a partir do nosso esforço,
da nossa vontade,
tem um gostinho diferente,
tem valor diferente,
tem resultado diferente…
Quando encontramos tudo dado,
Tudo analisado,
Tudo decidido,
Tudo avaliado,
Somos somente um passarinho que enfeita um viveiro.
Quando porém temos a curiosidade de ver,
de pesquisar,
de ir atrás,
de tentar entender,
correlacionar,
ver as sutilezas e os detalhes,
sentimo-nos como o passarinho que conquistou a liberdade.
Parece que nosso vôo é mais suave, prazeroso.
Temos a sensação de termos participado da construção do infinito.
Comungamos com ele,
Somos parte integrante dele.
A gente sabe que vai ralar,
Que não vai ser fácil,
Que às vezes dá até vontade de desistir,
Mas que no fundo vai valer a pena.
Aprender dá sentido à vida.
Torna-nos superiores.
Faz com que percebamos de uma maneira mais concreta a nossa evolução.
Por isso temos uma vontade interior de saber sempre mais.
De aprender cada vez mais…
Que é um dos nossos propósitos.
No entanto lembrem-se do provérbio chinês:
“Os professores abrem as portas, mas você precisa entrar sozinho”.

Anúncios