Um furacão de emoções e decepções.

Tanta coisa aconteceu essa semana… Um furacão de emoções e decepções.

 

De repente e inesperadamente surgiu uma possibilidade de voltar para o Brasil imediatamente. Uma coisa que era completamente contra todos os meus planos já estabelecidos e consolidados para todo o ano. E uma euforia desesperada me possuiu. Trabalhei 18… 20 horas por dia pra conseguir executar os pré-requisitos e sexta-feira a neblina se desmaterializou junto com a negação da oferta.

 

Isso verdadeiramente me abalou profundamente. Primeiro porque estava eufórico com a idéia e nem tinha pensado na possibilidade de ser negado. E ao mesmo tempo, muito cansado depois da semana exaustiva. Bem porque, diante da proposta, somente executei aquilo que pensei que pudesse ser o melhor nesse momento sem sequer refletir sobre o que eu realmente queria. Principalmente porque este ano não tinha iniciado como um simples novo ano. Mas sim, foi completamente desenhado para seguir as novas diretrizes que coloquei em minha vida: um desenvolvimento constante. Coisa que sempre acreditei como sendo o objetivo de nossa existência na terra, mas no entanto, tinha esquecido realmente o que fosse.

 

Depois que me formei na faculdade, com crises existenciais e muito estresse o que me levaram até ao hospital fiquei um tempo desequilibrado. De tempos em tempos descobria essa alegria do desenvolvimento pessoal. Quando iniciava um novo projeto de trabalho ou um novo desafio. Mas não tinha, verdadeiramente traçado grandes objetivos. Daqueles que guiam nossa vida, modelam todas as nossas tomadas de decisões e que nos mostram quanto tempo disponível temos e não usamos…

 

Na verdade isso eu sempre tentei fazer no Brasil… E através de uma constante leitura de livros, filosofia, revistas, e pensamento analítico próprio de todas
as informações que eu tinha. E finalmente. Depois tanto tempo voltando pra casa cansado do trabalho manual que tinha feito. Iniciei novamente a fazer o trabalho que me sinto feliz e com o qual me sinto guiado a estudar e conhecer mais e mais. Principalmente depois que li o artigo que traduzi pra vocês. Que verdadeiramente me acordou… como que dizendo… Ei!!! Que que ce anda fazendo da sua vida??? O que que você aprendeu esse ultimo ano? Muuuita coisa respondi pra mim mesmo… mas se tivesse me empenhado teria desenvolvido infinitamente mais… bem porque, em dois meses que mudei as diretrizes, meio que, reencontrando meu verdadeiro eu, aprendi quase mais que todo o ano, claro que, isso só foi possível, porque, no decorrer do ano tinha acimentado a base da qual nesses dois meses pude construí o conhecimento.

 

Sem contar com todo o desenvolvimento espiritual que tem confortado a minha alma carente de si mesma. Isso porque o mundo material é o mundo do esquecimento e a
primeira coisa que esquecemos é quem somos realmente: uma alma infinitesimal e eterna que existe dentro desse corpo material. E quando nos relembramos disso, muitas coisas mudam de sentido. Vínculos, valores e objetivos.

 

Por tudo isso, depois de um maravilhoso domingo, cheguei a conclusão que será ótimo continuar em Roma mais esse ano.

 

HareKrishna.

 

 

 

Anúncios