Apegamento

Tava lendo meu livrinho, La Bhagavad-Gita e achei essa parte sobre o apegamento bem interessante e resolvi comentar com vocês. Sempre escutamos que não devemos nos apegar as coisas, mas no fim não sabemos ao certo como fazê-lo. Espero que esse pedacinho vos ajude a entender um pouco melhor. Segue a minha versão brasileira:

 

Krishna aconselha a Arjuna de não escolher o caminho da inação, mas sim de agir de acordo com o seu dever sem apegar-se ao resultado. De fato, quem se apega ao resultado de uma ação assume a responsabilidade de seus atos, e deve gozar ou sofrer as suas conseqüências.

 

Todos temos o direito de cumprir com nosso dever, mas ninguém deve fá-lo com o objetivo de obter um resultado.

 

A escolha da inação é apenas mais uma forma de apegamento. Seja por um bom ou mal motivo, a escolha de não cumprir o seu dever também é uma forma de apegamento. E o apegamento é uma forma de escravidão e não ajuda de forma alguma a libertar-si da condição material. Por isso, mesmo a inação, quando atacada ao resultado, é condenável.

 

Por exemplo, o fato de trabalhar e ganhar dinheiro não é uma forma de apegamento, mas sim, o fato de trabalhar para ganhar dinheiro. Mas isso não se trata apenas de trabalho e dinheiro, mas sim, de todas as ações que fazemos visando apenas o resultado. Para se libertar do apegamento devemos cumprir ações desinteressadas, sem visarmos apenas o resultado. E assim não sofreremos com a bipolaridade da consequência, independente desta ser boa ou ruim.

Anúncios