Salto Alto

Era quinta-feira fim de tarde. O sol forte marcava presença como se ainda fosse o meio da tarde. O verão italiano não dá trégua… Estava eu voltando do trabalho por volta das 7h da noite. Fazia o mesmo percurso cotidiano. Quando saio da estação de metrô Ponte Mammolo, para pegar o ônibus 451. Uma figura estranha, sentando no ponto do pequeno terminal, me estupôs. Não simplesmente pela sua presença mas por toda uma cadeia de pensamentos que suscitou.

 

Um homem com a barba por fazer usando uma sandália dourada de salto alto feminina.

 

A minha primeira reação foi: Gente que aberração! Talvez porque não era um dos exemplares mais bonitos de machos. Mas depois comecei a analisar o porquê do meu judicio assim tão imediato. Inicialmente pensei que, se ele fosse completamente feminino não teria causado tanto espanto, mas a união de barba e sandália que foi contrastante.

 

Comecei uma auto analise dos meus pensamentos preconceituosos:

 

Qual era o problema da cena?

Ele era um homem e estava usando uma sandália dourada de salto alto.

 

E qual o problema nisso?

Que um homem não pode usar uma sandália dessas. Essas são roupas de mulher e só elas podem usar. É proibido para homens.

 

E quem fez essa regra?

Não sei quem fez. É simplesmente assim. Não importa quem fez a regra, mas ela existe e tem que seguir. Meninos não podem jamais usar roupas femininas. A não ser, única e exclusivamente, no carnaval.

 

E é simplesmente isso. Não consegui desenvolver mais que isso.

 

Depois comecei a pensar em toda a revolução feminina no decorrer do século XX. E que hoje as mulheres podem usar todas as roupas masculinas. Vemos mulheres de terno sempre por exemplo. Mas os homens continuam não podendo usar nada que for feminino. Tirando exceções como os escoceses que usam saia, os africanos e padres que usam vestidos (batinas). Na verdade aqui na Itália está na moda fazer as sobrancelhas, outra coisa que ainda não me acostumei com a idéia. É muito estranho ver nos ônibus e pelas ruas todos esses homens de sobrancelhas feitas.

 

E esse foi o pensamento. Que nesse mundo de suposta liberdade. Uma coisa tão simples, como a liberdade de se vestir não é uma coisa para os dois sexos. E no fim dizem que o mundo é masculino. Pode até ser masculino, mas completamente reprimido por regras de uma suposta masculinidade idealizada. Ao menos todo o movimento metrossexual deu uma maior liberdade ao homem e talvez estejamos passando por uma revolução camuflada em doses homeopáticas.

Anúncios