Happy Halloween

Talvez alguém diga que a morte lhe persegue… Mas no fim ela sempre esteve lá te esperando…

Estava com meu pai em Amalfi e um grupo de velhinhos passava enquanto comíamos num restaurante que deixou muito a desejar… Um dos velhinhos passava apoiando-se nas muletas. Os outros eram saudáveis, mas mesmo assim muito velhinhos. Meu pai olhou pra mim e falou. Tu vai ficar assim, a menos q tu morra antes.

É uma coisa tão obvia, não é. Mas no fim ninguém está preparado pra isso.

Ontem via televisão e passava um cara italiano entrevistando pessoas em Ibiza. Vendo o ritmo de vida, o jeito que elas viviam… A forma que eles viviam a vida… Mais relaxada…

Acabei de ver um filme bonito Jacket… Por isso que falei de morte… Porque era um pouco sobre isso… ao menos no fim…

Talvez a vida não seja só o que fazemos por nós… Mas sim como conseguimos mudar a vida dos outros para melhor…

Adoro ajudar os outros… Mas eu adoro também gratidão… Talvez isso seja uma coisa egoísta, sei lá… Como se fosse uma forma da pessoa reconhecer que fomos nós os responsáveis pelo seu sucesso… Ou talvez não… Apenas gostamos que a pessoa diga, obrigado pela sua ajuda, foi muito importante… Talvez apenas gostamos que as pessoas reconheçam o nosso esforço e dedicação para lhes ajudar.

O fato de não fazer muita coisa sempre me deu a sensação de que a vida estava passando. E foi só eu voltar a trabalhar que esse sentimento voltou. Como se eu nunca estivesse fazendo suficiente. Interessante. Pois até então tudo estava ótimo. Pois nem sempre é só o trabalho no sentido de atividade que nos faz crescer, mas também quando, mesmo sem nada para fazer trabalhamos em nós mesmo. Seja descobrindo um pouco mais de nossos defeitos e qualidades. Descobrindo que gostamos de cozinhar, dançar, cantar, tocar, conversar, escrever, andar de bicicleta, lutar, namorar… e principalmente aprender a amar. Acho que isso todos nos sabemos no fundo. Mas desenvolvemos nossa capacidade de confiar, cuidar, proteger… descobrir nossos prazeres… os gostos e texturas do corpo… além de trocar saliva e fluidos, trocar energia…

As vezes quando eu tava em Londres, perdido no meio do frio, seja sozinho ou acompanhado… Eu sentia, como se meu coração tivesse tão pequeno… Acho que quando agente fica tanto tempo sem amar parece que a vida as vezes perde um pouco o sentido. Talvez não precisamos realmente amar um parceiro… não sei… não tenho muita experiência nesse caso que me veio a cabeça… talvez possamos amar nossos filhos, ou nossos pais, irmãos, amigos, cachorros, sei lá… mas além disso devemos nos sentir amados… todo mundo precisa de abraço.

Mas no fim não tem nada que substitui dormir abraçados e pelados… Acho q não há cachorro que cure essa falta… Por isso que foi só um exemplo, mas não sei realmente se funciona.

Hoje é Halloween. Então… Happy Halloween

Anúncios