Brainstorming

Enquanto sinto os grãos do tempo escorrerem por meu dedos penso no infinito de possibilidades que apenas seguem cada sim ou não. Cada decisão. Cada dia que fico em casa pode significar que todo meu dinheiro acabara e eu estarei de volta ao Brasil, pobre, quebrado, humilhado e exonerado… essa ultima porque eu tava pensando nela hoje e acho uma palavra bonita… mas ao mesmo tempo a beleza das palavras pode brotar das brutas coisas do mundo, assim como as flores brotam de cidades carbonizadas pela lava de um vulcão. As vezes eu penso que a lava que corre pelos rios subterrâneos são nada mais nada menos que as veias de nosso grande amigo plante terra, também conhecido pela velha, contudo conservada, Sra. Gaia. E que os vulcões são nada mais nada menos que machucados. E nós você me pergunta… Obviamente as bactérias que parasitam a pele… Dae vem você muito engraçado sugerindo que as árvores poderiam ser a flora intestinal…. sim, sim… mas no intestino tem merda, como na sua cabeça maybe. Excuse moir… Na verdade são exatamente 03:59 da manha e impressionantemente a hora não mudou no exato momento que eu escrevi tudo isso… destine. Surely.

Hoje eu lia que os budistas não acreditam em Deus. Pra eles as coisas simplesmente acontecem naturalmente. Interessante. E não tem porque pensar em quando elas começaram ou irão terminar.

Quando eu escrevia minhas redações na quinta série do ensino fundamental, naquele tempo chamado primeiro grau, eu escrevi Deus com letra minúscula. Eu falava de um deus geral, mas não do Deus especifico. Mas era um colégio católico. Eu achava que Deus era apenas a designação de divindade, e que, como Zeus, deus dos deuses, ele tinha um nome, não era apenas Deus. Assim como nós não somos chamados apenas homem. A única diferença é que existem seis bilhões de homens e um só Deus, então fica mais difícil de confundir, certo?

Depois eu descobri que o Deus tinha um nome, seu nome era Jeová, mas interessantemente nós não usamos mais. Agora é apenas Deus, God, Dio, Dios… Porque que tiraram o nome de Deus? Será para que todos pudessem ter o mesmo? Sem briga de qual era o seu ou meu?

Um dia eu conheci um Israelense Judeu, em outro um Sírio Muçulmano… Aprendi algumas coisa com essas duas pessoas.

Com o Judeu aprendi que mesmo se sua cidade está sendo bombardeada você continua vivendo normalmente, porque a possibilidade de ser você a pessoa que morre é bem pequena. Aprendi que uma pessoa faz toda a guerra em um país fazer alguma diferença no noticiário. Aprendi também que você nunca pode odiar um Sírio por ele fazer parte de um governo, ou de um país. Você simplesmente desaprova as decisões de seu presidente.

Já com o Sírio eu aprendi outras coisas. Que você pode conhecer pessoas continentalmente longe e aprender coisas importantes com elas e mudar a vida delas um pouco. Com ele aprendi que a religião Muçulmana é mais recente que a Cristã e que eles
reconhecem todos os outros profetas, como Davi, Abraão, Moises, Jesus… Mas para eles Maomé foi responsável por relembrar seu povo os verdadeiros princípios religiosos. Entre seus livros sagrados estão o Alcorão e a Bíblia.

Nesse tempo que eu fiquei sem trabalhar não sei se aprendi tanta coisa. Aprendi a relaxar, aprendi a respeitar, aprendi a elogiar, aprendi a esperar. Aprendi que muitas coisas ruins vêem para o bem e que conhecemos algumas pessoas na hora certa, mas isso não quer dizer que precisamos ser seus amigos para sempre.

Quando eu pensava no que eu queria ser quando crescer eu pensava que queria ser capaz de fazer duas coisas. Uma era citar autores, achava o máximo as pessoas falarem: e como Tal disse… bla bla bla… Achava tão sofisticado e belo. Dae eu li alguns livros e no meu trabalho de conclusão da universidade realmente aprendi como faze-lo, na realidade era praticamente a única coisa que podíamos fazer anyway.

A segunda era poder ler em diferentes línguas. Isso eu não vi ninguém fazer na televisão. Mas fazia parte do meu desejo de conhecimento. Imaginava como deveria ser lindo poder ler todos os livros como eles foram originalmente escritos, toda a riqueza de vocabulários e idéias intraduzíveis… Hoje eu estava assistindo a um dos filmes que ainda sobram no meu computador e pensei nisso… Já posso assistir filmes em três línguas sem legenda… Uau… Meu sonho eram 4, entao fala apenas mais uma, espanhol. E de repente parece uma coisa tão palpável. Mas infelizmente ainda não tenho todo o conhecimento que gostaria em Italiano, a ausência de uma escola verdadeira se faz sentir. Mas com a necessidade de emprego urgente, voltei a estudar meu livro: Aprenda italiano em 30 dias. E na verdade aprendi bastante coisa.

Nos últimos dias está chovendo, meu pai está chegando, a garota que mora comigo é muito simpática mas está tentando fazer eu pagar mais pelo aluguel da minha casa. Pessoas do passado retornam mais interessantes e com novas experiências. Amores perdidos parecem ainda pulsar em meio de novas paixões. Sentimentos se misturam, experiência se repetem.

As vezes eu fico com medo que meu dinheiro acabe e eu passe fome. Isso já aconteceu uma vez e não foi bom. Acho que passar fome por necessidade é uma coisa que realmente ensina e amedronta uma pessoa. Sendo que nunca faltou o que comer, apenas diminuiu drasticamente a quantidade. Eu jurei que nunca mais desperdiçaria  comida, no entanto inúmeras vezes deixei de cumpri-la. Morar sozinho trás imprevistos e erros de cálculos e muita coisa é perecível e estraga.

Quando fazia minha mala para voltar para o Brasil. E tinha tanta coisa que nunca mais usaria mas que mesmo assim queria continuar com elas. Pati, minha companheira de quarto por 3 dias e que por acaso tem uma foto linda no orkut dela bem em frente a torre Eifel, me dizia: se desapega Glauber. Era difícil.

Hoje eu li no meu novo livro, Eu e Meu… Exatamente sobre o desapego. Que as pessoas se apegam aos objetos em busca de felicidade. Todo mundo sabe que é besteira mas ao mesmo tempo parece tão fácil faze-lo. Comprar felicidade. Parece que é fácil
comprar felicidade em um tênis novo, celular novo, chapéu novo… Você vai na loja e está feliz.

Quando eu estava em Londres falava com meu amigo Guilherme, acabamos perdendo contato o que é uma pena, é difícil manter contato com pessoas que não usam a internet. Ele me perguntou ao telefone se eu tava melhor, falei que tinha mandado dinheiro pro Brasil e que me sentia melhor agora. Ele me perguntou: é assim que você lida com os seus problemas? Ele me disse algumas coisas legais, mas não cumpriu outras e me deixou triste. Mas agora eu já perdôo ele.

Ele me ensinou uma coisa muito bonita, mas que na época eu não estava preparado para executar. Que todos têm sentimentos e por isso, independente se eles são feios ou bonitos, gordos ou magros, altos ou baixos, não podemos brincar com seus sentimentos e com seu amor.

Depois eu aprendi no budismo que todos sofrem. E que o sofrimento é a causa de toda infelicidade do mundo. Que agente sofre por não ter e querer, sofre por ter e ter medo de perder, sofre por perder, sofre por não ter o que tinha, sofre… Assim eu consegui entender mais a igualdade das pessoas. Porque não é todo dia que conseguimos ou queremos entender que todos são capazes de amar. Mas facilmente sabemos que todos são capazes de sofrer. E nos sentimos tocados pela dor dos outros quando os amamos e queremos que quem amamos nunca mais sinta nenhum sofrimento.

Eu liguei pra minha mãe essa semana e ela chorou, tava preocupada. Quem não fica preocupado. Eu também estou preocupado com ela. Estou preocupado com minha irmã, meu irmão, meu outro irmão, minha outra irmã, meu pai, meus amigos. Mas também o que adianta se pré-ocupar. Afinal já diz a própria palavra é só uma foram de ocupar o seu tempo previamente com uma coisa que não aconteceu. Melhor é utiliza-lo de forma a solucionar o problema, se ocupar e não pré-ocupar.

Eu estou sentado no sofá ainda e sei que vários pensamentos que eu escrevi ficaram incompletos, pois outros vieram e a vida fluiu. Eu simplesmente falei tudo que veio em minha mente. Acho digno, como diz meu outro amigo Gui.

Mas agora já são 4:53 e é hora de dormir, porque mesmo que a música e os musicais entretenham nossas vidas, agente tem que dormir. Depois dessa comparação vocês podem realmente perceber que eu preciso.

Grande beijo e agora já são 04:54

Anúncios