Casa Nova

Primeiramente tava muito otimista, achando q ia ser muito facil achar uma casa nova e perfeita pra morar. Mas entao, ontem, quando comecamos a procurar um novo flat, vi q as coisas nao sao tao simples. Primeiramente pq estavamos com milhares de pre-requisitos, estilo: maquina de lavar, Zona 1 ou 2, lugar seguro, internet, tv, chuveiro bom, limpo, com 6 ou 8 pessoas no maximo… ou seja…. tudo q nao tinhamos na outra casa… e tudo isso pelo mesmo preco q estavamos pagando, e ainda com as contas inclusas.
 
O Andre sabia de um Studio Flat – quarto com tudo dentro, cozinha, banheiro, tudo – no comeco da zona dois… entao fomos la ver… era um cubilo, totalmente claustrofobico, num predio q parecia um presideo, sem contar q a regiao estava longe de parecer segura. Sai correndo, afinal queria uma casa, um lar… nao um cubico… Comecamos a procurar na TNT, uma revista semanal e gratuita com milhares de empregos, flats e tudo mais q sai toda segunda feira… Mesmo nao encontrando a versao desejada, comecamos a analisar os anuncios…
 
Com a revista em uma mao e o mapa do metro na outra fomos circulando e riscando os anuncios um a um. Ligamos para alguns e finalmente achamos o ideal, na regiao q eu queria, ou seja, perto de onde estavamos morando, e com muitos dos pre-requitos inclusos. Pegamos o metro, mesma linha de antes, mas 5 pontos mais longe, no meio da zona 2, ou seja, 10 minutos mais longe. Tava muito frio, assim como hoje… a temperatura caiu muito esses ultimos dias, acabando com minha espectativa de q era pura ilusao q esse seria o inverno mais rigoroso dos ultimos 15 anos. Enquanto esperavamos o landlord, ou seja, o cara q ia alugar o flat, aproveitei pra usar o banheiro publico, uma cabine no meio da rua q vc pode usar por 10p, com direito de ficar 20 minutos la dentro… me ocorreram varias ideias calientes para usos futuros, mas vou mante-las comigo mesmo… Logo individuo chegou, de carro, um Toyota, Corola se nao me engano. Foi otimo entrar no carro e fugir do frio. No painel o GPS mostrava o mapa e o melhor caminho a seguir, e em 3 minutos ja estavamos estacionando em frente da casa, logo apos entrarmos pelo portao automatico de cerca de 4 metros de altura q protegia a propriedade. A casa na verdade era um condominio, afinal as casas de Londres sao sempre grudadas… eram cerca de 10 casas juntas, e dentro de cada uma 4 quartos. Tudo muito novo e com um cheiro de limpo. Logo ficamos sabendo q um Cleaner, ou faxineira pra ser mais facil, ia toda semana limpar os apartamentos.
 
O lugar era perfeito, ao lado da estacao do metro. O unico problema era que a estacao ficava a ceu aberto, e o "ao lado" nao era figura de linguagem, mas sim literalmente ao lado do edificio passavam os trens. O quarto era perfeito, nao muito grande, mas tinha uma cama de casal enorme e perfeita, q ia ser trocada por duas de solteiro com aqueles colxoes ooootimos de mola… so de provar o colxao ja me deu vontade de ficar la pra sempre… Um guarda roupa grande, acho q suficiente pra colocar todas ou grande parte de nossas roupas… sem contar com a televisao e nosso proprio freezer. 
 
Adorei no mesmo segundo, mas quando sentamos pra conversar sobre as condicoes de pagamento e disponibilidade uma coisa comecou a me irritar profundamente, o barulho dos trens freiando e acelerando a cada 5 minutos certamente ia diminuir em muito a minha qualidade de vida, bem como o meu sono. Claro q a estacao fechava a meia noite, mas o grande problema eh q ela abriria as 6 da manha… e eu so saio da cama as 10. Por sorte reclamei e fomos levados a outro quarto… q ate o momento nao tinha sido mencionado e ficava em outra casa do condominio, virado para o lado oposto e protegido do barulho.
 
Concluindo, encontramos o lugar perfeito e que se encaixa em todos os requisitos solicitados, somente a internet faltou, mas vamos instala-la assim q possivel.
 
Hoje pela manha fomos pagar por tudo…. 430 libras cada um.  No meio do trajeto passamos ao lado de um cemiterio… o primeiro q vejo em Londres… igual aos dos filmes de terror… aproveitei pra bater algumas fotos assombradas… com cruzes, tumulos e corvos… depois de assinarmos o contrato voltei la e pra dar uma olhada… li as lapides, bati algumas fotos… Eh estranho mas eu gosto de cemiterios, claro q nao sao o melhor lugar pra passar o final de semana, mas eh estranho andar num cemiterio… a ideia de perenidade e mortalidade vem a mente e nos deparamos com a emergencia da vida… com a emergencia de realizarmos todos os nossos sonhos, de transformarmos nossas vidas antes q tudo acabe… vemos o amor esculpido nas lapides dos casais separados pela morte… eh engracado como depois q um morre em muitos casos a outra pessoa vem a falecer logo apos… acho q deve ser muito solitario, depois de toda uma vida juntos simplesmente ter q encaram a solidao. Pq a solidao nos leva a auto observacao, q junto com a tristeza da morte de alguem amado certamente leva a depressao… E quando velhos, os filhos ja sao independentes, muitas vezes moram longe… os amigos ja morreram, estao doentes ou ninguem sai mais de casa… a velhice deve ser bem triste quando nao eh socilamente ativa. E com o tempo acho q agente se cansa de acompanhar as mudancas… a cidade, o mundo e certamente o corpo… A ideia de saude, beleza e mesmo de se sentir abencoado, protegido por deus comecam a falhar, quando as doencas e as rugas ja nao sao mais misterio… o corpo comeca a se deteriorar e os cosmeticos sao a unica forma de manter uma aparencia saudavel. A morte esta a espreita, em busca de uma brecha q tornara realidade os pesadelos noturnos.
 
Acho q se nao morrecemos muitos iriam dormir pra sempre. Talvez a morte afeste o homem da preguica e inercia.
 
Pra mim eh inconcebivel a ideia de morte eterna. Pensar q a pessoa morre e acabou. Achar q o corpo eh apenas areia, po, atomos associados que formam moleculas, celulas…  vida… pq agente consegue sentir a vida, o inconsciente nos revela conhecimentos q nao temos, como se suspirassem as respostas em nossos ouvidos. Sempre acreditei na ideia budista que na vida temos o objetivo de aperfeicoamos a nos mesmos… em tudo… nos sentidos aprendendo a ver, ouvir, cheirar…. aprender a sentir, amar, chorar… aprender a correr, parar e dormir… aprender a falar, berrar e calar… E a morte eh apenas um fato, delimitando nosso tempo, concluindo uma das possibilidades que escolhemos seguir e disponibilizando um recomeco.
 
Na verdade hoje dormi muito pouco e talvez por isso esteja falando tanto… Acho estranho escrever ideias, eh mais facil revelar somente fatos…
Vou ficando por aqui. Por mais q tenha finalizado com pensamentos um pouco morbidos, quero q saibam q tudo esta perfeito, de acordo com minhas melhores espectativas.
Grande beijo
Anúncios